Imunodeficiência felina, descrição da doença

Gatos Paradais Sphynx

Informações sobre os gatos, os seus cuidados e saúde, raças de gatos, genética felina. Fotos e vídeos.

Cabeçalho Direito

  • Animales
  • Perros
  • Centenas de
  • Répteis
  • Anfibios
  • Aves
  • Peces
  • Mamíferos
  • Sphynx
  • Perro pelo pecado
  • Invertebrados
  • Naturaleza
  • Viajes

Autor: Paradais Sphynx Deja un comentario

nesta página sobre gatos

  • 7.1 Mais informações sobre gatos, água, cuidados…

Nome

A imunodeficiência viral felina é causada por um retrovírus. Afeta um 1-15% dos gatos domésticos.

Também acontece em felinos selvagens, como é o caso do leão, a onça, o tigre, ou o leopardo…

Epidemiologia (contágio)

O vírus da imunodeficiência felina é transmitida ou contagia principalmente através da mordedura. Outras formas de contágio são possíveis, embora mais raros: transplacentaria, venérea, oronasal. A saliva é a principal fonte de transmissão, nela se concentra uma considerável quantidade do vírus.

Um animal portador pode conviver com outros gatos, a menos que seja agressivo. Geralmente, os gatos de fora são os mais suscetíveis à infecção, principalmente por brigas protagonizadas com outros felinos que transitam em liberdade.

Patogenia, desarrollo del vírus

O vírus se multiplica nas células imunológicas dos gatos infectados: linfócitos T e B, macrófagos.

Duas semanas após a infecção, ocorre a viremia inicial, que vai durar de 2 a 3 meses. Segue-se uma fase assintomática, 1-5 anos, em que ele vai diminuindo o número de linfócitos T eficazes (CD4+).

Inmnodepresión terminal (AIDS): anemia, leucopenia, morte em 6-12 meses.

Sintomas do vírus da imunodeficiência felina

Entre os sintomas destacam-se:

– Viremia inicial: febre, anorexia, adenomegalia passado (aumento dos gânglios linfáticos).

– Fase assintomática, os gatos não evidenciam a doença, pelo menos de forma aparente.

– AIDS terminal: nesta fase, o vírus tem a sua máxima expressão, já que o sistema imunológico está muito deprimido, os sintomas o felino são principalmente anemia, leucopenia, tratamento, perda de peso, infecções secundárias (gengivite, conjuntivite, uveíte, enterite…).

Diagnóstico

O diagnóstico é feito através de testes de laboratório em que se detectam anticorpos. O teste deverá ser efectuado até 8 semanas depois do último contato com outros gatos potencialmente infectantes.

Um resultado positivo deve ser confirmado, já que existem falsos positivos. Em gatos com menos de 6 meses, um teste positivo deve ser confirmado posteriormente, já que pode ter anticorpos maternos.

Tratamiento

No que se refere ao tratamento da doença, é imprescindível recorrer a uma clínica veterinária para a realização de testes e controle do animal, já que a imunodeficiência felina não tem cura.

– Sintomático: protocolos com Interferon Omega Felino (tem algum efeito anti-viral e estimula o sistema imunitário).

– Vacina: A vacina inativada, nos EUA e na Austrália, na Espanha, na atualidade, não se comercializa. A sua eficácia tem de ser considerada parcial, já que podem haver diferentes cepas de vírus.

Os gatos vacinados são impossíveis de distinguir de gatos doentes.