Terapias em problemas de comportamento do gato

Gatos Paradais Sphynx

Informações sobre os gatos, os seus cuidados e saúde, raças de gatos, genética felina. Fotos e vídeos.

Cabeçalho Direito

  • Animales
  • Perros
  • Centenas de
  • Répteis
  • Anfibios
  • Aves
  • Peces
  • Mamíferos
  • Sphynx
  • Perro pelo pecado
  • Invertebrados
  • Naturaleza
  • Viajes

Autor: Paradais Sphynx Deja un comentario

nesta página sobre gatos

  • 5.1 Mais informações sobre gatos, água, cuidados…

Qualquer reprodutor responsável tem de adaptar os gatos, a um ambiente doméstico próximo ao ser humano, o ambiente pode ser variado, bom pelo fato de tratar-se de gatos de interior, isto é, sem transitar fora da casa, ou aqueles que vão ficar em um ambiente mais livre, na medida em que tem saídas para o exterior.

A socialização em uma idade precoce é determinante para educar o felino em casa com total segurança: manipulação do cachorro, acostumbrarlo os ruídos do dia a dia, a outros animais, até mesmo a outras pessoas.

muitas vezes, uma falta de educação e socialização causa problemas comportamentais em o gato e é necessário recorrer a um especialista para a aplicação de terapias baseadas em diferentes técnicas, e cuja meta final é a adaptação do gato ao ambiente que, em um primeiro momento se coloca hostil ou inadequado; também as técnicas em processos terapêuticos de comportamento felino ajudam a diminuir certos comportamentos do gato, que são irritantes para o proprietário, embora normais ou naturais para o próprio felino; até mesmo ajudam a tratar certas doenças relacionadas com doenças mentais.

Técnicas veterinárias cirúrgicas

– Lobotomia: consiste em seccionar os pêndulos olfativos do gato, hoje em dia esta técnica é aconselhável, já que são muitos processos prejudiciais e até mesmo irreversíveis para o gato.

– Esterilização: aconselhadas para evitar comportamentos irritantes de felinos domésticos em épocas de cio. Técnica que deve ser feita na idade da puberdade, resolve problemas de agressão e marcação.

– Onicofalangoectomia: inglês), ou remoção cirúrgica das unhas do gato, procedimento atualmente em desuso, pelos efeitos negativos que pode implicar: dor, dificuldade de movimentos, agressividade…

Terapias que modificam o comportamento do gato

– Terapias comportamentais: educar o gato através de reforços positivos ou negativos através de chamadas com diferentes tonalidades. Condicionamento baseado em recompensa ou punição em função de seu comportamento. Entre as doenças, sobretudo em gatos com fobias, respondem a comportamentos de evitação ou fuga diante de certas situações poucos toleráveis para o minino.

– Terapias cognitivas: muito popularizada nos últimos tempos, sobre o uso de feromônios, têm efeitos calmantes diante de lugares desconhecidos ou pouco agradáveis para o felino. É possível que o ambiente seja mais favorável e, em consequência, melhora o comportamento do animal.

terapias baseadas em jogo também são um bom estímulo para socializar e acomodar o gato a diferentes ambientes, além disso, enriquece criativamente o relacionamento entre o proprietário e o minino.

as Drogas que alteram o comportamento felino

Existem muitos preparados e são utilizados para o tratamento de doenças mentais, ansiedade, depressão, etc., a título de exemplo, citamos alguns medicamentos bastantes interessantes:

– Desinhibidores: se consegue uma maior capacidade de ação no comportamento do gato.

– Benzaminas: utilizadas para fazer com que o minino melhore a sua actividade e comportamento.

– Ansiedade: utilizados para diminuir a ansiedade e todas as consequências negativas que determina, por exemplo, as benzodiazepinas. A trioxazina também são muito positivas no tratamento de ansiedade felino.

– Antidepressivos:, como é o caso dos tricíclidos utilizados para o controle da micção e em distúrbios de territorialidade. Os tetracíclidos são uma boa opção para gatos que apresentam casos graves de ansiedade.

Terapias alternativas a la medicina tradicional felino

nos últimos anos, foram implantadas novas técnicas afastadas da medicina tradicional, mas utilizadas também por muitos profissionais veterinários, já que são também uma alternativa que podem ser aplicadas em terapias de comportamentos felinos, ou como meio complementar no tratamento de doenças, como é o caso da aromaterapia veterinária, acupuntura, fitoterapia, homeopatia, etc