Alergia em cães, seus sintomas e causas

Atualmente, o problema da alergia em cães tem sido detectado com maior freqüência dentro dos motivos para ir à consulta veterinária, embora algumas vezes os proprietários não possam identificá-los, já que pode ser confundida com outro tipo de problemas. Há cães que podem viver toda a sua vida, sem apresentar algum tipo de alergia, mas alguns outros chegam a ser bastante sensíveis a certas substâncias, produtos ou estímulos externos que causam um dano extremo ao sistema imune, o que terá como consequência o aparecimento de problemas bastante evidentes no organismo do indivíduo. Comumente qualquer tipo de alergia em cães, manifestar-se com irritação, coceira, inchaço e perda de cabelo, ocasionando muitas as vezes que o cão lama constantemente.

Há casos comuns de alergias em cães relacionadas com determinadas raças, como o terrier escocês, west Highland White terrier, Lhasa Passar, Pug, Schnauzer mini, Bulldog inglês, retrievers, setter e dálmatas.

Causas de alergia em cães

Em várias ocasiões, quando se apresentam problemas de tipo alérgico é muito complexo poder chegar a identificar o agente causal que desencadeou esta resposta imune mediada, portanto, podem-se dividir as alergias mais comuns encontradas nos cães, nos seguintes grupos:

As alergias por contato, que são ocasionadas devido a que o cão está em contato constante ou repentino com algum inseto ou parasita, geralmente por pulgas ou plantas que vão gerar uma resposta de hipersensibilidade em seu sistema imunológico. Os produtos químicos utilizados diretamente no cão, como talco, xampu, coleiras antipulgas, etc. também podem ser os causadores dessas alergias.

Outro tipo de alergia em cães é dada ao consumir alimentos que contêm alguns ingredientes que podem causar alergias do tipo alimentares no cão. Entre os ingredientes que tem sido demonstrado que têm relação com esse problema encontramos certas proteínas derivadas do leite, ovo, carnes, como frango, carne ou peixe, cereais como a soja, milho, trigo e arroz, já que o cão não possui as enzimas necessárias para poder assimilar este tipo de proteínas.

Se um cão chega a inalar uma substância que causa a reação alérgica a ele, este tipo de alergia será conhecida como alergia por inalação, em que, como o nome indica, o organismo do cão entra em contato com substâncias presentes no meio que o rodeia e irá desencadear a alergia. As substâncias que podem provocar alergias por via inalatória podem ser entre as mais comuns, pólen de flores, pó em casa, ácaros, esporos de fungos e mofo, aerossóis ou produtos de limpeza utilizados em casa, até mesmo algum produto que se aplica diretamente ou em que o habitat do cão, como perfume ou talco, que podem chegar a entrar em suas vias aéreas.

Alergia em cães e seus sintomas

A seguir, descreveremos os sinais ou sintomas de alergia em cães que são comentado, e depois se vão mencionando sinais «específicos» de cada grupo já explicados anteriormente:

A coceira será um sinal aparente para suspeitar de alguma alergia, a pele vai ficar irritada ou avermelhada, seja em uma ou várias partes do corpo, mas principalmente nas almofadas e/ou nos espaços interdigitais (entre os «dedos» do cão). A pele vai ficar inflamada, podendo ser em forma de volumes muito pequenos ou de tamanho considerável, presença de manchas que vão de tonalidade vermelho ao café escura, espirros contínuos e sacudindo a cabeça ou o corpo, áreas sem cabelo, inflamação da mucosa conjuntival, com vermelhidão e lacrimejamento, e até mesmo inflamação interna das orelhas e, talvez, vômitos e diarréia.

a alergia A picada é a mais comum das alergias por contato, para este tipo de alergia, não há fatores predisponentes, por isso, cães de qualquer raça, idade ou sexo serão afetados pela mesma. Os sinais mais significativos são: coceira intensa, com aparição repentina em áreas específicas do corpo, como quadril e primeiras vértebras da cauda, braços e axilas. A presença de uma única pulga será suficiente para causar problemas graves, com duração de até 7 dias. As lesões mais evidentes aparecem nas áreas já mencionadas, e se observar crostas e pequenos grãos em primeiro lugar, depois se o quadro é mais grave se notarão mudanças na coloração de pele e cabelo (avermelhado), endurecimento da pele, produção excessiva de gordura e, conseqüentemente, perda de cabelo, caso o problema tenha muito tempo sem estudar.

Em alergias alimentares, os sinais serão generalizados e serão muito diferentes, estes vão desde problemas dermatológicos como inflamação e vermelhidão da pele, coceira, diarreia, vômitos e problemas de infecções nos ouvidos. Esta alergia em cães pode apresentar-se algumas vezes de forma repentina e em outras, depois de muitos anos de consumir o mesmo alimento.

Se os sinais que foram citados anteriormente chegam a aparecer no caso de utilização de algum produto de limpeza em casa, aplicação direta no cão, fungos ou bolor no ambiente ou em alguma estação do ano em que haja proliferação de pólen, vai suspeitar fortemente de alergia em cães por inalação.

o Diagnóstico de alergia em cães

Ao observar qualquer sinal já mencionado no animal de estimação, deve-se realizar uma visita ao veterinário, uma vez que o diagnóstico deste problema envolve uma série de inspeção detalhada do histórico clínico e uma avaliação completa do paciente para que se chegue a um diagnóstico diferencial ou, no melhor dos casos, presuntivo e certeiro.

Você pode fazer uso de diversos testes e análises ao cão para determinar as causas que tenham desencadeado a resposta alérgica, entre as quais podemos destacar: a eliminação gradual dos alérgenos suspeitos, prova intradérmica realizou diversos antígenos para tentar detectá-los ou dar uma dieta exclusivamente hipoalergênica, durante 12 semanas.

Tratamento da alergia em cães

Identificando adequadamente o causador da alergia, o cão poderá levar a cabo o tratamento adequado:

  • Em alergia à picada da pulga deve primeiro controlar os parasitas externos com produtos que o médico veterinário indicar. Isto evitará que as pulgas continuam mordendo o cão, impedindo a resposta alérgica.
  • Se se trata de uma alergia alimentar, o melhor tratamento é que o cão a consumir alimentos hipoalergênicos.
  • No caso de uma alergia inalatória deve evitar o máximo possível o contato do cão com a substância, e como preventivo é inyectarán antialérgicos para ajudar a desenvolver resistência a essas substâncias.

Em todos os casos, podem-se utilizar medicamentos complementares, como anti-histamínicos, anti-inflamatórios não esteróides, esteróides, ácidos graxos e shampoos especiais para alergias ou neutros, tudo isso sob a supervisão do médico veterinário.