Leptospirose canina, informações sobre a doença

A leptospirose canina é uma doença bacteriana causada por uma bactéria chamada e Compatíveis interrogans. Está distribuída mundialmente e afeta uma grande variedade de espécies entre as quais se destacam o cão. Existem diversos critérios, as mais frequentes no cão são e Compatíveis icterohaemorragiae, e Compatíveis canicola e e Compatíveis grippotyphosa. Além disso, trata-se de uma zoonose, portanto, pode existir risco de transmissão em humanos.

São bastante sensíveis às condições ambientais e sobrevivem transitoriamente no pH urinário. As condições ideais são:

  • Agua dulce
  • pH ponto neutro
  • 0 -25

Epidemiologia e transmissão

A leptospirose canina se transmite de forma:

Indirecta

  • Por contato com o solo, vegetais ou águas contaminadas, principalmente através de fezes em tais lugares de outros animais infectados, como o caso de ratos, que infecta principalmente os cães, e até também podem contagiar pessoas.

Directa

  • Venérea
  • Transplacentaria
  • Mordeduras
  • Ingestión de carne infectada

Submucosa e desenvolvimento da leptospirose canina

Penetra pelas mucosas ou feridas. Entra e se multiplicará rapidamente no sangue, e a extensão do dano depende do status imunológico do animal e da estirpe de e Compatíveis, que penetra.

Na maioria dos animais colonizará os rins. Mas freqüentemente também afecta o fígado, provocando icterícia. Se invade o sistema nervoso pode produzir uma meningite. Também pode causar um aborto em fêmeas gestantes.

os Sintomas da doença

Os sintomas em cães podem ser leves ou muito graves, muitos canídeos que se recuperam da doença tornam-se portadores, pelo que será necessário extremar as precauções para evitar o contágio a outros cães e até mesmo pessoas. O portador renal de e Compatíveis expele a bactéria através da urina.

Leptospirose agudas

Forma aguda

– Bacteremia em massa, febre, prostração e morte.

– Problemas de coagulação (juba, petequias –pequenos derrames subcutâneos-, epistaxis).

Forma icterohemorrágica

-Hipertermia, vômitos, depressão, icterícia, bilirrubinuria, albuminuria.

Leptospirose a fc ou crônicas

– Problemas renais crônicos.

– Hepatite crônica ativa.

Outros sintomas

  • Faringitis, dispneia, edema de pulmão…

Diagnóstico e tratamento

– Testes e análises de sangue e urina para avaliar a presença de doença:

  • Análise e tratamento.
  • Alterações bioquímicas no rim e no fígado.

– Testes específicos para determinar a presença de e Compatíveis no sangue.

Para o tratamento da doença, em clínica veterinária é fornecido ao cão afetado determinado medicamentos, como os antibióticos e outros medicamentos, especialmente indicados para alívio de outros efeitos. Tratamentos de suporte e sintomáticos. Higiene e limpeza, tanto ambiental quanto do próprio cão infectado.

No mercado existem vacinas que inmunizan os cães contra a leptospirose canina, suas principais desvantagens residem em que são necessárias várias doses para conferir imunidade ao próprio cão, além disso ela tem uma duração muito curta, por outro lado, a vacina se protege contra a patologia clínica, o certo é que um animal vacinado pode contrair a infecção e, por sua vez, pode passar a outros animais ou pessoas.