Origem do cão doméstico, sua domesticação

O cão doméstico é um dos animais com os quais estamos mais familiarizados, a tal ponto isto é assim, que a grande diversidade de indivíduos e raças que existem na atualidade, muitas vezes passam despercebidos, na medida em que é comum avistar este animal de estimação em qualquer parte do ambiente humano. Em muitas ocasiões, muitas pessoas têm suscitado certas interrogações sobre a origem do cão, ou seja, conhecer os seus antepassados, neste artigo apresentamos algumas notas interessantes que nos ajudam a conhecer melhor a procedência ou origem do cão doméstico.

Sabemos localizar, quase por intuição, o origem do cão de estimação. Situada em uma espécie, o lobo, o qual é o antepassado direto do cão. Poderíamos contar a história das origens do cão como uma história em que um grupo de humanos adota um lobo, talvez um cachorro, e a partir daí se inicia uma carreira de domesticação, que, com o tempo, daria inicio a uma multidão de raças diferentes existentes na atualidade.

Bom, a breve história da evolução ou origem do cão que temos narrado no final do parágrafo anterior parece convincente, apesar do qual resulta que não é de todo certa, mas existem milhares de contos para crianças que relatam casos parecidos para comunicar ao público infantil, as boas relações que sempre existiram entre os canídeos e o homem. Com efeito, não é que os humanos estão pegando o lobo e a partir desse momento ocorre a domesticação do mesmo para, posteriormente, passar para a domesticação do próprio cão de estimação. Foi mais bem o contrário: o lobo pareceu-lhe vantajoso se aproximar dos humanos, parir seus filhotes perto das aldeias humanas, pois naqueles assentamentos estava alimentos facilmente e sem necessidade de todos os dias joão; dessa forma, em um primeiro momento, tornou-se uma espécie de animal que vivia dos resíduos humanos.

da mesma forma, o ser humano achou vantajoso se relacionar com lobos. Se pensarmos com cuidado, pode ter acontecido que as lobas que davam perto dos humanos se considerar, de forma natural, uma espécie de alarme para suas aldeias. Note-se que, para salvaguardar a sua centímetros-se em verdadeiros cães de guarda, sempre alerta na defesa de seu território, embora não se desse conta que, ao mesmo tempo, proteger o ser humano. Para aquela sociedade era compatível e muito positivo para os interesses que perseguiam os antepassados do cão doméstico, pois estavam em concordância com uma espécie de «benefício mútuo» no intuito de proteção que deve ser demandada se tivermos em conta os perigos que outrora observando o ser humano. Em tais circunstâncias, o casamento entre ambas as partes estava assegurado, por isso, essa teoria é a mais convincente sobre o origem do cão de estimação.

O anterior é elevado se tivermos em conta que atualmente existem cerca de lobos que vivem em consonância e harmonia com o homem; mesmo aqueles criados pelo ser humano, desde seu nascimento, adotam um comportamento doméstico e sociável, embora não cheguem a um grau de socialização tão elevado como atualmente ocorre com o cão.

a Partir de um ponto de vista geográfico, sempre se pensou que o processo de domesticação dos canídeos começou no Oriente Médio, no entanto, após o último estudo científico e em que analisaram o DNA de várias espécies de canídeos pré-históricos, desmentem a tese anterior e consideram que a origem do cão é o resultado da domesticação do lobo em áreas provenientes da Europa, posteriormente, os primeiros cães domesticados foram-se estendendo a outros continentes. O estudo baseia as suas suposições, principalmente, no fato de que o DNA dos canídeos pré-históricos europeus analisados mostram mais semelhanças com o cão de estimação atual, que com os restos pertencentes à família canidae pré-históricos do Oriente Médio.