Gatos albinosy sua variantes, a série alélica do gene C, especial atenção aos gatos brancos albinos

Gatos Paradais Sphynx

Informações sobre os gatos, os seus cuidados e saúde, raças de gatos, genética felina. Fotos e vídeos.

Cabeçalho Direito

  • Animales
  • Perros
  • Centenas de
  • Répteis
  • Anfibios
  • Aves
  • Peces
  • Mamíferos
  • Sphynx
  • Perro pelo pecado
  • Invertebrados
  • Naturaleza
  • Viajes

Autor: Paradais Sphynx Deja un comentario

nesta página sobre gatos

  • 4.1 Mais informações sobre gatos, água, cuidados…

Não somente os gatos brancos é albinos, existem outros padrões também afetados por este gene, como é o caso do gato siamês, o qual determina o tipo de coloração que vai apresentar o felino, nos referimos a série alélica do gene c.

neste gene que intervém uma enzima chamada tirosinase, que atua na fabricação de pigmentos; se esta enzima funciona adequadamente o gato apresenta uma coloração normal, caso contrário, dará lugar a uma série de padrões, alguns condicionado pela temperatura corporal e ambiental, como é o caso do padrão siamês. Para este gene, podemos encontrar uma diversidade de mutações, nomeadamente distinguem-se cinco alelos:

C: Coloração normal, sem pontos; neste caso, a enzima funciona corretamente, dominante com respeitos aos outros alelos, permite as seguintes combinações: CC (sólido, sem point), Ccs (portador siamês), Ccb (portador burmés), Cca (portador albino de olhos azuis), Cc (portador albino olhos cor-de-rosa).

cb: Apresenta uma cor clara, já que escurece a cor básica, tornando-o mais pálido, os olhos de cor verde ouro. É mutante e recessivo em relação a C, também chamado de padrão burmés ou sépia; combinações possíveis: cbcb, cbca, cbc, cbcs (padrão tonquinés).

cs: Cor com pontos (points), muito marcados nas pontas; o corpo mais claro. É característico no gato siames, produz olhos azuis é recessivo em relação a C e codominante com relação a cb, cor mutante; o genótipo é: cscs, csca, csc, cscb.

Como já foi dito, é codominante relação ao alelo burmés; a presença conjunta (cbcs) produz o padrão tonquinés, pode apresentar marcas dictales (points), olhos de tonalidade azul-turquesa, azul-esverdeado, também chamados de aqua ou mink.

Tanto o alelo «cb» como o «cs», são sensíveis à temperatura; por conseguinte, o corpo será normal nas áreas mais frias do corpo, ou seja, na face, orelhas, pés e cauda do animal, e mais claro nas partes restantes, por exemplo, no tronco ocorrem variações de pigmentação consequência do mau funcionamento da tirosinase; além disso, os gatos que vivem em um ambiente mais acolhedor terão uma coloração mais clara do que os que se encontram em um meio mais frio.

ca: trata-Se de outra mutação, recessiva em relação aos três anteriores, produz um albinismo quase completo com o manto branco e olhos azuis; combinações possíveis: desconhecido; cac.

É a diferença do gato branco que carrega o gene W em que a despigmentação ocorre não por uma ausência de melanócitos na pele do animal, mas por falta de funcionamento da tirosinase; por isso, estes gatos cor branca não apresentam a patologia da surdez, em suma, estes gatos brancos não vão ser surdos.

c: albino, olhos vermelhos, de pêlo branco, mutante recessivo em relação aos anteriores, albinismo completo.

O gene do albinismo pode causar gatos com problemas de estrabismos.

Curso prático do gene C

Quais as probabilidades de cores teríamos atravessando um gato, BBcbcsSs: seal (preto) mink e branco, com um bicolor preto e portador de point (padrão siamês), BBCcsSs.

Interpretação da tabela:

– Estes gatos carregam em seu genótipo do gene «w» (não branco na sua totalidade), o gene «ou» (não laranja) e o «D» (não diluído); no gráfico estão omissos simplesmente para fazê-lo menos extensiva e mais compreensível.

– 25 % preto, heterocigoto para a cor de cheio, isto é, sem pontos (não-point) e portadores do padrão burmés.

– 25% preto, heterocigoto para a cor completa (não-point) e portadores do padrão siamês.

– 25% tonkinés olhos mink.

– 25% padrão siamês de olhos azuis.

– A metade dos gatos da descendência apresentam manchas brancas (Ss); em outros (25 %) predominaría mais o branco, por exemplo, van ou arlequins (SS); o resto carecerá de branco (ss).

Outro exemplo do gene do albinismo

agora, Suponha um gato azul point, portador de chocolate, Bbcscsddss; com um point preto, heterocigoto para manchas brancas, que também é portador de chocolate e diluição, BbcscsDdSs.

Interpretação:

– Ao igual que no caso anterior, estes gatos carregam em seu genótipo do gene «w» e o » gene «ou»; no gráfico estão omissos simplesmente para fazê-lo menos extensiva e mais compreensível.

– o manto de todos os cachorros se mostrariam as marcas point, pois se trata de um gene recessivo que se manifesta nos progenitores e, por conseguinte, também se manifestará na descendência. No entanto, destacar que haverá filhotes em que parte dessas marcas não exterioricen, consequência da despigmentação da pele em áreas onde opere o gene «Ss». Os filhotes com «Ss» apresentam manchas brancas e foi-lhes designado pela cor que tenham seguido de ponto e a palavra alvo; por exemplo, preto (seal point e branco ou azul point e branco.

– Todos têm os olhos azuis.

– não diluídos portarán o gene de diluição.

– O 37.5 % será preto (seal point.

– O 37.5 % será azul (blue) point, pois mesmo que um dos progenitores mulher não é diluído, em seu genótipo porta o gene de diluição.

– O 12.5 % será chocolate point, ambos os progenitores são portadores de chocolate.

– O 12.5 % será lilac point, por ser um ascendente diluído e o outro portador de diluição.

Notas importantes sobre gatos albinos

Muitas pessoas, ao ver um gato branco, podem prestar-se a confusão, já que identificam a cor branca com o albinismo, quando na realidade não é assim. Quando falamos de gatos albinos há que ter em conta:

nem todos os gatos brancos são albinos, apenas os que porta o gene ca. Estes gatos não vão ser surdos.

Os gatos brancos que carregam o gene W, ocorre formação, são os que podem apresentar surdez. Não são gatos “”albinos”, a cor branca é causado por um outro gene (W).

, Igualmente, os gatos brancos com A genética, também podem apresentar surdez. Não são gatos “albinos”, ao igual que no caso anterior (são gatos brancos para o gene S).

eu Tenho dois gatos que não são brancos podem sair crias brancas? se comportam ambos os pais o gene do albinismo (ca) podem sair brancos, já que é um gene recessivo, e estaríamos diante de um gato albino. É uma genética diferente das duas anteriores.

Como acreditar neste último caso?, é fácil, com testes genéticos, é possível determinar se os seus antepassados têm o gene do albinismo e, em consequência, a semente possa sair algum gato albino branco, ainda que os pais não o são.

Um exemplo para entender melhor a genética do gato albino

Imagine dois gatos pretos portadores do gene albino, sua representação seria:

BB: Negro (alelo dominante)

ca: Albino (alelo recesivo)

Por isso, seu genótipo seria: BBca, que quer dizer que são negros (pelo alelo dominante), mas carregam gene do albinismo, como este último é recessivo e ambos os gatos têm, manifestem-se em sua descendência, que seria o seguinte:

BcaBBBcaBBcacaBBCacacá

Como podemos observar nasceria um gato albino branco com olhos azuis: , o resto seriam negros, mas portadores do gene do gato albino branco.